Estrangeiros fazendo estágio no Atelier

Desde 2007 com a chegada do alemão Daniel Mannel nosso Atelier vem recebendo estrangeiros, formados em luteria, para trabalhar aqui como um estágio em restauração.

Formado pela Newark School of Violin Making na Inglaterra, Daniel estagiou em nosso Atelier por dois anos e agora está de volta a sua terra natal de onde, esperamos, ele saia para vir trabalhar com a gente novamente.

Daniel é um lutier capaz e de muito talento mas, principalmente, é um grande amigo e uma pessoa muito boa. Eu gostaria muito de tê-lo como amigo por perto.

Daniel trabalhando em um braço.
Daniel e nosso saudoso amigo Luiz Carlos, que trabalhou por mais de 10 anos no Atelier

À esquerda Pierre Picard da França e à direita o alemão Max Kretzschmann. Formados pela Newark School of Violin Making na Inglaterra, estagiaram no Atelier de 2009 a 2010.

Max é filho de um lutier construtor de violinos na Alemanha e, assim como Pierre, é muito bom lutier.

Pierre dá acabamento a um instrumento antes de ser envernizado.

Eu me lembro de um encontro de contrabaixistas em Goiânia onde meu amigo o professor Sandrino do Rio de Janeiro apareceu empolgado falando que havia um lutier alemão no encontro e que isso seria a coisa mais especial que poderia ter ocorrido. O lutier era, na realidade, o dono de uma pequena fábrica de instrumentos onde trabalham várias pessoas na construção de baixos em série e pouco acrescentou ao evento que foi muito interessante.

Hoje, muitos anos passados eu me lembro desta história e sinto orgulho por ter europeus formados e capazes vindo trabalhar para mim e fazer estágio em meu Atelier e por colocar o Brasil num lugar onde jamais esteve nesta arte.

Infelizmente, parece que é mais fácil ser reconhecido fora do Brasil, por estrangeiros que entendem da arte, do que aqui dentro onde a lenda tem mais força que a realidade.

O fato de pessoas que nasceram em países com grande tradição na arte da luteria e, inclusive, filhos de lutiers ativos em seus países estarem dispostos a viver alguns anos longe de casa para trabalhar e aprimorar suas técnicas aqui é um grande indicativo da excelência de nosso trabalho.

 

VOLTAR