Inovações e avanços no
design do instrumento

Além do sistema de braço regulável mostrado neste site, o qual não é nossa idéia mas tem sistema criado e desenvolvido por nós, e de outras inovações como o uso de tecnologias diversas (veja no menu Atelier), também ousamos e usamos nossa experiência e a de amigos como Ken Parker para solucionar alguns problemas que sempre existiram no instrumento.

Um desses problemas é fácil de ser detectado por quem tem contrabaixo com fundo plano ou chato.
Estes instrumentos tem a tendência de empenar fazendo um "barriga" para dentro e, com o passar do tempo e dependendo das condições do clima, tem a tendência de ter as barras internas do fundo descoladas na ponta.

Recolar as pontas das barras de baixos com fundo chato sempre foi um trabalho comum e que nunca resolveu o problema completamente e alguns proprietários de contradaixos já fizeram esse trabalho muitas vezes.

Na tentativa de solucionar esse problema comecei a investigar os motivos que levam a esse "empenamento" do fundo e, jundo a Ken Parker descobrí a sua causa.

Todo instrumento "encolhe" com o passar dos anos e isso ocorre porque a madeira vai perdendo cada vez mais umidade e o efeito do tempo e da luz se faz sentir em algumas décadas.

É um trabalho comum a recolocação das faixas laterais do instrumento quando um baixo fica sem borda por encolhimento do tampo e do fundo mesmo em fundos escavados.

Isso ocorre no sentido lateral do baixo e não de cima para baixo (com o baixo em pé). As fibras da madeira se aproximam levemente mas, em mais de 200 aneis anuais, isso dá uma difarença de alguns milímetros em alguns anos.

O ponto máximo que eu observei está proximo dos 100 anos mas mesmo instrumentos com algumas décadas apenas pode apresentar o problema. Principalmente se as madeiras não estavam completamente secas quando da construção.

Um fundo plano normalmente tem 4 barras transversais e perpendiculares à sua junta central.
Quando a madeira do fundo encolhe, a barra que está dentro e colada de modo perpendicular aos veios do fundo oferece resistência. Isso faz com que as pontas se soltem primeiro pois é o ponto mais sensível e frágil. Com o tempo a enorme força do fundo encolhendo e a resistência apenas do lado interno exercida pela barra o fundo empena para dentro.

Essa era a causa mas faltava achar a solução. Algumas experiências foram tentadas como outras posições de barras, 2 barras paralelas etc. Até que cheguamos a essa que me parece a ideal:
Uma barra diagonal substituindo 4 barras perpendiculares.

Além de resolver completamente o problema do empenamento elimina-se mais de 500 gramas de peso inútil no fundo.
Como a barra está em sentido diagonal aos veios ela acompanha mais facilmente o encolhimento natural do fundo. Além disso, com a pressão da alma o fundo não tem como empenar para dentro.

Após várias experiências e testes acústicos e funcionais cheguei aos cálculos que me deram uma fórmula para alinhar e desenhar a barra de acordo com o baixo e afirmo, com orgulho, que este é um avanço numa área onde inovar é quase sempre uma heresia. É preciso coragem e conhecimento para dar um passo deste tipo.

Esse sistema já foi feito em muitos contrabaixos como o romeno do Célio Barros por exemplo e você pode conferir a sonoridade do baixo dele procurando por ele no Youtube.

Se você notou esse problema no fundo de seu instrumento traga a nosso Atelier para avaliarmos a situação e para que seu baixo volte a render como deveria.

 

 

VOLTAR