Baixo elétrico 1996

 

Esse baixo elétrico foi construído para mim mesmo.
É o único instrumento do tipo feito até hoje no Atelier.

Uma vez que sempre gostei muito de tocar baixo elétrico, além do acústico, e só tinha um Roland GR77 de 4 cordas, resolvi fazer um de 5 cordas para mim.
A 5ª corda era um Si (B) grave, portanto sua afinação era: Sol, Ré, Lá, Mi, Si. Depois passou a ser afinado com a 1ª corda aguda (um Dó) ficando Do, Sol, Ré, Lá, Mi.

Nesse instrumento foram utilizadas madeiras de 3 continentes: Maple da Europa, Wenge da Africa e Pau Santo e Grumixava da América.

O corpo é feito em 7 partes intercaladas sendo 3 peças de Pau Santo e 4 de Grumixava.
No braço foi utilizado o Maple (4 peças) também intercalado com Mogno (3 peças).

A escala é de Wenge com marcações em Abalone e trastes de liga de latão.
As tarrachas são Gothoh bem como a ponte.
Os captadores são Seymour Duncan Soapbar ativo e uso cordas Rotosound.

 

O desenho do modelo foi criado por mim buscando um instrumento leve (pesa menos que o Roland que tem 4 cordas) e confortável para minhas necessidades.

Depois de fazer alguns contrabaixos acústicos esse trabalho me pareceu extremamente simples e fácil.
O corpo do instrumento, mesmo sendo feito em 7 partes coladas, é muito simples pois é maçico e não necessita de cálculos de espessura e outras coisas comuns no instrumentos acústicos.
O braço é macio e confortável tendo seu peso bem balanceado para que o instrumento não caia para frente como ocorre com a maioria dos instrumentos de 5 ou 6 cordas.

Tocar esse instrumento é um de meus hobbies. Esse foi o único baixo elétrico construído por mim e não pretendo construir outro.

Ele foi feito totalmente nos intervalos entre os trabalhos de construção e restauração (o que me valeu uma tendinite, por trabalhar na hora de descansar e tocar sem parar, que só passou depois de muita acupuntura).

 

 

VOLTAR