Preservação e ecologia

 

É dever do Lutier e básico para a sua profissão a proteção e o uso racional dos recursos naturais, mesmo que não exista nenhum tipo de apoio ou atitude de nossos governantes com relação à preservação.

Tenho participado de reuniões e de encontros de ONGs e outros com o fim de se tentar fazer com que os construtores de instrumentos passem a fazer seus trabalhos utilizando material inferior como se os mesmos fossem os responsáveis pela situação de desmatamento mundial atual.

Apenas uma árvore de Pau-Brasil é suficiente para abastecer todos os arquetaios do mundo por um ano. É a indústria pesada que destrói as florestas para obter carvão e outros recursos além da madeira em si.
Certa vez fiz uma compra de madeiras e, depois de umas quatro semanas, eu vi a região onde estive em chamas na TV como nas fotos desta página.

Seria melhor para a ecologia se eu não as tivesse comprado e elas tivessem simplesmente queimado virando apenas pó e poluição? Eu fiz um mal adquirindo as madeiras?





Antes de tentar este tipo de política que nada gera de positivo seria muito mais simples se o governo federal liberasse a importação de madeiras de qualidade para a construção de instrumentos e, depois de colocar os desmatadores na cadeia, trabalhasse na regulamentação do uso do solo e seus recursos e lucrasse com os impostos pagos na construção e venda de instrumentos de qualidade indiscutível.

Infelizmente, o atual governo está mais preocupado em se manter e manter as maracutaias que o tornaram famoso em todo o mundo como o mais corrupto de nossa história e nada podemos fazer a não ser esperar que um próximo governo tome as rédeas do país e introduza uma política efetiva e não apenas algo cosmético.

 

 

VOLTAR